O Autor

Aldous Huxley nasceu na Inglaterra (Godalming, Surrey) em 26 de Julho de 1894 e faleceu em nos EUA (Los Angeles) em 22 de Novembro de 1963).

Breve biografia

Filho de uma família de classe média alta, Aldous Huxley teve uma educação privilegiada. Devido a um problema na retina, quase ficou cego aos dezesseis anos. Parcialmente recuperado, aprendeu braile. Estudou no Eton College e no Balliol College, em Oxford, graduando-se em inglês em 1916.

Seu primeiro volume de poemas foi publicado em 1916 e em 1920 lançou mais duas obras. Atuou como crítico literário e teatral e escreveu artigos para várias revistas. Em 1919 Huxley casou-se com Maria Nys, com quem teve um filho, Mathew.

Em 1921 publicou seu primeiro livro de crítica social, “Crome Yellow”. Durante a década de 1920, Aldous Huxley conviveu com o grupo de Bloomsbury, do qual fazia parte artistas, intelectuais e escritores, como Virginia Woolf, e publicou mais de uma dezena de livros, entre os quais “Contraponto”, que obteve grande sucesso.

Por volta de 1930, Aldous Huxley estabeleceu-se na França, onde escreveu sua obra mais conhecida, “Admirável Mundo Novo”, com a qual ganharia fama internacional. Através de uma sombria ficção científica, o escritor estabeleceu uma visão pessimista de uma futura sociedade tecnológica.

Em 1937, Huxley mudou-se para a Califórnia, nos Estados Unidos, onde abandonou a ficção e passou a se dedicar a escrever ensaios e roteiros para cinema. Entre os vários roteiros que elaborou, estão “Orgulho e Preconceito”, uma adaptação do romance de Jane Austen, de 1940, e “Jane Eyre”, de 1944, com Orson Welles no elenco.

Em 1954 Huxley publicou “As Portas da Percepção”, em que relata experiência de ampliação da consciência através do uso da mescalina, um potente alucinógeno. Huxley tornou-se um guru para a comunidade hippie e passou a interessar-se por filosofias orientais. Em 1956, um ano depois da morte da primeira esposa, Huxley casou-se com a psicoterapeuta Laura Archera.

Em 1962 o escritor lançou seu último romance, “A Ilha”. Aldous Huxley morreu no dia 22 de novembro de 1963, no mesmo dia em que o presidente John F. Kennedy foi assassinado. Suas cinzas foram enterradas na Inglaterra, no túmulo de sua família.

 

 

“O mal da ficção é que ela faz sentido demais. A realidade nunca faz sentido.” Aldous Huxley

 

Fonte: UOL Educação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s